Skip to content

Formas de financiar faculdade mesmo com o país em crise

dezembro 29, 2019

 
 

“Após as mudanças nas regras do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) alguns estudantes brasileiros não fazem ideia de como conseguir financiar o ensino superior e ir em busca de um futuro melhor.”

 
 

— O programa do Governo Federal é um dos métodos mais procurados quando o assunto é financiamento de ensino superior e milhares de universitários já ingressaram na faculdade por meio dele. Contudo, as novas regras com novas restrições, deixaram alguns candidatos com dúvidas se conseguirão ou não fazer um curso superior.

Se você está com essa dúvida, está no lugar certo! Neste post, iremos abordar o assunto e mostrar pra você diferentes formas de financiar sua faculdade mesmo com o país em crise. Confira e escolha a opção que mais faz sentido para o seu orçamento.

Formas de financiar sua faculdade


Financiamento Estudantil Público

Mesmo com regras mais restritivas, o financiamento Fies ainda pode ser uma boa alternativa para financiar seus estudos superiores. O programa do governo oferece taxa anual de juros de 6,5% e o método de pagamento é facilitado em três etapas, sendo elas: Fase de utilização, carência e amortização.

 
 

Na fase de utilização o estudante precisará pagar a cada 3 meses uma parcela no valor máximo de R$ 150,00 para arcar com os juros incidentes sobre o financiamento. Na carência, conta com um prazo de carência de até 18 meses para começar a reembolsar o dinheiro do empréstimo. A última fase, a fase de amortização, o saldo devedor do financiamento é dividido em até três vezes o período financiado da duração regular do curso. Ou seja, se o seu curso é de 4 anos você terá até 12 anos para pagá-lo.

Para contratar o Fies é necessário preencher alguns requisitos:

  • Ter renda familiar bruta, por pessoa, de até 3 salários-mínimos;
  • Ter feito alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem);
  • Ter tirado no mínimo 450 pontos no Enem e nota maior do que 0;
  • Necessário ter um fiador, podendo ser familiar ou não.

Financiamento com crédito universitário privado

Se por algum motivo você não conseguiu financiar seus estudos com o Fies, uma opção que de uns anos para cá vem crescendo absurdamente é o crédito universitário privado.

O Pravaler é uma das alternativas de crédito estudantil privado. Com ele, é possível entrar numa faculdade ou realizar cursos superiores, tanto presencial como a distância. O Crédito Universitário Pravaler pode ser usado para pagar cursos de graduação, pós-graduação, MBA e cursos técnicos.

Para contratar o Pravaler é preciso localizar uma faculdade que seja um parceiro do programa e solicitar a aprovação de crédito. Depois de aprovado e começar o curso, você irá pagar parcelas que custam metade do preço mensal do curso.

Com juros que variam entre 0 e 2,19% ao mês, de acordo com a instituição de ensino. Desse modo, o prazo que você terá para quitar o seu curso é dobrado. Ou seja, se o seu curso tem duração de quatro anos, você pagará mensalidades menores durante o prazo de oito anos.

 
 

Para contratar o crédito Pravaler é necessário cumprir alguns requisitos, sendo eles:

  • Provar renda mínima de o dobro do valor da mensalidade do seu curso;
  • Não possuir restrições no nome no Serasa ou SPC;
  • Caso você não consiga comprovar a renda mínima, você pode optar por um fiador. Este, pode ser seu pai, sua mãe ou algum amigo que concorde em te ajudar.

Financiamento estudantil em bancos

O financiamento estudantil em bancos também é uma das formas de financiar sua faculdade. Bancos como Santander, Bradesco e Itaú oferecem diversos benefícios e taxas diferenciadas para que o estudante consiga realizar o sonho de se formar e buscar novos horizontes.


Como escolher o financiamento estudantil?

Se você determinou que o Fies não é uma das formas de financiar sua faculdade, analise com cautela e paciência a contratação de um financiamento estudantil privado. Antes de tudo, você precisa saber se a instituição escolar que você pretende ingressar possui parceira com a instituição que fará o financiamento. Depois disso, analise cuidadosamente o contrato, como as taxas de juros, o valor das mensalidades, o prazo para reembolso e principalmente as letras miúdas.

Analise o seu orçamento financeiro para saber se você conseguirá pagar as parcelas sem problemas. Tenha em mente que fazer uma faculdade inclui, além das mensalidades, custos com alimentação, transporte, moralidade, livros didáticos, materiais e muito mais. Por isso, é de extrema importância que você escolha um financiamento que se encaixe às suas necessidades.

Receber ajuda da empresa onde você trabalha para estudar

Se você trabalhar registrado, uma das formas de financiar sua faculdade é saber se a empresa que você trabalha  possui algum programa de benefício para pagamento de uma faculdade.

Atualmente, é muito comum que as organizações ajudem o colaborador a pagar o ensino superior. Neste cenário, geralmente, é necessário que estudante faça um curso superior relacionado ao trabalho que desenvolve na empresa, além de ter que permanecer trabalhando para a instituição por um determinado período.

 
 

Mesmo que a crise econômica no país dificulte consideravelmente que o brasileiro curse um ensino superior, encare a faculdade como um investimento em sua carreira e não um custo.

Ao final, você poderá aumentar suas chances de ser contratado por uma ótima empresa ou até mesmo montar o seu próprio negócio.

Mais assuntos do seu interesse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *